Por que Ceará?

O Ceará é um estado que, nos últimos anos, tem apresentado um desenvolvimento econômico acima da média nacional. O Produto Interno Bruto (PIB) do Ceará, no terceiro trimestre de 2019, fechou com crescimento de 1,87% em relação a igual período de 2018. Na comparação com o segundo trimestre de 2019, a elevação foi de 1,28%. No acumulado no ano (três trimestres) chegou a 1,51% e nos últimos quatro últimos trimestres totaliza 1,48%. Os bons números da economia cearense são superiores aos registrados no Brasil, na mesma relação, de 1,2%; 0,6%; 1% e 1%, respectivamente.  As estratégias do Governo do Estado para incrementar o desenvolvimento econômico levam em conta três premissas: a necessidade de aumentar empregos; elevar a média da massa salarial; e fazer com que a economia estadual cresça e sua participação se aproxime da média do PIB nacional nas próximas décadas.

Entre os pontos fortes apresentados pelo Ceará para atrair novos investimentos estão a situação fiscal e econômica do governo; a evolução em indicadores educacionais; e as oportunidades de negócios geradas pelos hubs aéreo, portuário e tecnológico. Em termos de política de desenvolvimento, nas últimas três décadas, o Ceará trabalhou em duas frentes principais: investimentos em infraestrutura – água e energia, estradas, porto, aeroporto, comunicações; e também em aprimoramento institucional, buscando manter um bom conceito com instituições financeiras de fomento, fornecedores e potenciais investidores.

Desenvolvimento futuro

Atrelado às ações do presente e visando estabelecer um planejamento estratégico para o desenvolvimento do Estado no futuro, o governo do Ceará criou a Plataforma de Desenvolvimento Ceará 2050, cujo objetivo central é empreender um processo de reflexão estratégica e de negociação de prioridades para o alcance de uma economia mais competitiva e sustentável.

Na área desenvolvimento econômico, especificamente, a meta do planejamento 2050 é colher subsídios com diversos atores sociais e também aproveitar estudos recentes, como o Rotas Estratégicas Setoriais da FIEC, para identificar setores com grande potencial do desenvolvimento no Estado.